quinta-feira, 27 de abril de 2017

Luz de Primavera





Luz de Primavera


Luz de Primavera, que força a sua!...
Acalenta raízes frias entre mãos quentes,
fluidifica seivas, corre como sangue...

Folhas e flores,
das flores os frutos,
filhos e amores...

A sebe cheia de flores
cresce, cresce cheia de luz de Primavera
e a mão cheia de dores...

Espinhos 
da rosa como da luz
sombras...


José Rodrigues Dias, 2017-04-27

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Olho nos pássaros a harmonia...




Olho nos pássaros a harmonia...


Acorda-me cedo a passarada, bem cedo,
por entre a folhagem fresca ao abrolhar do dia...
E tão feliz que a sinto, livre e sem medo...

Talvez esteja já de peito feito afinando o bico
para os primeiros figos lampos, oh, que saudade!...,
que ali sente, ainda que verdes, sabendo a mel...

E eu, acordado, sentindo o dia,
vislumbrando mares bravos, incendiados,
olho nos pássaros a harmonia...


José Rodrigues Dias, 2017-04-26

terça-feira, 25 de abril de 2017

25 de Abril...




25 de Abril...


Esvoaçando de oliveira em oliveira
uma ninhada de passarinhos chilreando
com sua mãe abraçando a liberdade...


José Rodrigues Dias, 2017-04-25

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Liberdade, Abril...




Liberdade, Abril...


Foi por aqui noite e que longa...
Fez-se a madrugada e bom dia se fazia...
Olho, sinto vir de lá a tardinha...


José Rodrigues Dias, 2017-04-24

domingo, 23 de abril de 2017

Olhos claros...




Olhos claros...
(e vão quatro...)


Hoje me digo, olhos claros,
que por ti existe e persiste o verde 
como existe a luz nos azuis...

E que, livres, nos azuis do céu
os pássaros voam e sempre voarão 
levando sementes de liberdade...


José Rodrigues Dias, 2017-04-23

sábado, 22 de abril de 2017

Nesta paz esta flor branca...




Nesta paz esta flor branca...


Enquanto por aí jogais à bola, cânticos de morte,
verde o relvado, regado, verde de verde, bem aparado,
eu sou nesta paz esta flor branca e cheia de sorte...

A aragem sabendo a sal
docemente me afaga e me embala,
macia, sem sinal de mal...

Aqui vivo sem amargura
com seres na areia puros e sóbrios como eu
mesmo que nesta secura...


José Rodrigues Dias, 2017-04-22

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Colar de flores




Colar de flores


Sobre a praia ao sabor do vento
um colar de flores 
sem palavra atinada para o dizer...


José Rodrigues Dias, 2017-04-21

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Dias de atritos...




Dias de atritos...


Dias de atritos,
de riscos, de gases malditos, de tiros,
de mil conflitos...

Mesmo um caracol se esconde
agachado em sua concha dentro de um túnel cavado
entre os espinhos de um cacto...

Que razão
abre / fecha
o coração?...


José Rodrigues Dias, 2017-04-19

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Começar, a terminar...




Começar, a terminar...

(Começar, obra de Almada Negreiros
no átrio da Gulbenkian)


Começar,
o número e a Geometria
a terminar…

Tudo aqui
na razão divina,
símbolo f...

Partenon na Acrópole, Phídias, harmonia...
Pentagrama, delta, Olho, Oriente, Arquitecto...
Gioconda, da Vinci, Pitágoras, Geometria...

Coelhos, natureza,
sequência de Fibonacci, limite,
seres, vida, beleza...

f,
número de ouro,
F...

E tudo aqui
no número irracional phi, 
f ou F, phi...

Harmonia,
fF, logotipos de livros meus 
de Poesia...


José Rodrigues Dias, 2017-03-25

terça-feira, 18 de abril de 2017

Cantam as rolas...




Cantam as rolas...


Olho as flores e o mar
do cimo da minha falésia.
Fico-me a contemplar...

Não há bombas...
Entre os cheiros da natureza
cantam as rolas...


José Rodrigues Dias, 2017-04-18